MAM vs DAM: entenda as diferenças entre os sistemas de gerenciamento de ativos digitais

MAM vs DAM: Se você está buscando por um sistema de gerenciamento de mídias ou ativos digitais certamente já se deparou com essas duas siglas: MAM e DAM. Entender a diferença entre os dois é um passo fundamental para a tomar a decisão sobre qual irá atender melhor cada tipo de necessidade.
Media Portal

Media Portal

Compartilhe

Com o desenvolvimento da tecnologia de informação praticamente todo os ativos de mídia de uma emissora de televisão, rádio e outros produtores de conteúdo passaram a estar no formato digital. Até mesmo o conteúdo que originalmente foi gravado em mídias físicas é recomendável que seja digitalizado para garantir a longevidade e acessibilidade do material.

Neste cenário onde o acervo está digitalizado é fundamental contar com um sistema que proporcione a organização dos seus ativos, que facilite as buscas e a recuperação rápida, agregue recursos de inteligência artificial e possua integração entre outros sistemas.

A seguir você confere as diferenças entre um MAM e um DAM!

Foco dos sistemas

A primeira coisa que você tem que saber é que MAM significa Media Asset Management — em tradução livre, Gestão de Ativos de Mídia. Já DAM quer dizer Digital Asset Management — em tradução livre, Gestão de Ativos Digitais.

Isso quer dizer que o foco de um MAM está nos vídeos, enquanto o DAM se projeta para fazer a gestão de acervos diversos. Em linhas gerais você vai encontrar muita coisa em comum entre os dois sistemas, mas se o foco for gerenciar especificamente ativos de vídeo o MAM vai te proporcionar mais funcionalidades e mais foco neste tipo de acervo.

Para fazer uma distinção de segmentos de mercado, o DAM acaba sendo muito utilizado em agências de publicidade para gerenciar logotipos, campanhas de áudio, vídeo, impressos, fotos do produto etc.

Já o MAM é um produto mais focado em produtores de vídeo, como emissoras de TV, empresas de EAD (ensino à distância) que produzem videoaulas e produtores de conteúdo de vídeo em geral. Além de fazer a gestão do acervo ele é capaz de organizar os fluxos de arquivos de vídeo entre diferentes departamentos e destinos.

Faz parte da cadeia de produção audiovisual operar sistemas de edição, publicação, exibição e arquivamento.

Benefícios do MAM

  • Gestão fácil do fluxo de arquivos de vídeos, como a edição de um vídeo em baixa resolução que seja replicada para o arquivo mezanino (em alta resolução)
  • Integração com video storage, facilitando o tráfego dos arquivos entre sistemas
  • Redução dos custos de armazenamento de mídias — em especial com hardwares que possibilitem o armazenamento de arquivos com segurança e velocidade de recuperação
  • Colaboração entre usuários cadastrados, com diferentes níveis de acesso e fluxos personalizados e dedicados de produção
  • Valorização e preservação do acervo de vídeos — possibilitando que vídeos já produzidos sejam usados em conteúdos futuros
  • Funcionalidades de inteligência artificial que gerem legendas automáticas e análise de cenas do vídeo com a geração automática de metadados que possibilitam a busca mais precisa dos itens do acervo gerenciado
  • Automação de fluxos de trabalho repetitivos — como por exemplo o arquivamento automático de vídeos que foram recentemente veiculados
  • Publicação de vídeos em um portal ou aplicativo OTT (o seu próprio Netflix), de forma tal que os vídeos publicados são gerados na(s) resolução(es) adequada(s) para uma boa distribuição e consumo

Por que existem sistemas de MAM e DAM?

Com a evolução dos sistemas de informação um dos fenômenos que observamos é a personalização para nichos específicos. Podemos pegar como exemplo sistemas de ERP (Enterprise Resourcing Planning), responsável por gerenciar os recursos das empresas, emitir faturas, boletos, notas fiscais, planejamento de fluxo de caixa, dentre outras funcionalidades.

Uma das maiores empresas do setor é a alemã SAP, usado por grandes empresas pelo mundo. Mas um sistema tão robusto e complexo que foi projetado para atender a empresas muito grandes com faturamento bilionário não é adequado para gerenciar o fluxo de trabalho de um pequeno empresário com um comércio; ou para clínicas e hospitais.

Por isso diversos sistemas focados em determinados nichos foram surgindo, atendendo a demandas específicas de diferentes setores. Um ERP médico, por exemplo, é capaz de fazer o gerenciamento de horas de plantões de médicos em diversas unidades. Ele foi projetado com foco neste mercado.

A relação entre MAM e DAM é similar. Não existe uma aplicação melhor ou pior, e sim a que consegue atender melhor a diferentes nichos e aplicações de mercado. Neste sentido, com um produto focado em vídeo, o MAM acaba sendo uma solução mais usada pelo mercado audiovisual.

Como definir a ferramenta para a minha empresa?

No final das contas essa é a pergunta que importa. Se você trabalha em uma empresa com alto fluxo de produção audiovisual como TVs, produtoras, agências de publicidade com grande produção de vídeos.

Esses segmentos de mercado geralmente têm mais sinergia com um sistema de MAM:

  • Notícias
  • Esportes
  • Produção de filmes
  • Produção musical
  • Televisão
  • Relações públicas

Sobre a Media Portal

A Media Portal é referência no Brasil quando o assunto é MAM e acervamento de vídeos. Atua na gestão de acervos de emissoras de todos os portes, como por exemplo a TV Cultura — o maior acervo da história da TV brasileira, até em pequenas emissoras.

Se você precisa de uma solução para acervamento de vídeos fale com um dos nossos especialistas. Eles podem te ajudar com um projeto customizado para adaptado ao orçamento da sua empresa.

MAM Media Portal

Com o MAM Media Portal a sua emissora conta com um produto 100% brasileiro certificado pela operação das maiores emissoras de TV e rádio do país.

Entre em contato com o nosso time de vendas e conheça as opções que temos para gerenciar os fluxos de vídeos da sua emissora de rádio e TV.

plugins premium WordPress
Scroll to Top